Rijeka, Croácia

É a terceira maior cidade da Croácia e o maior porto deste país, pelo que a água tem uma importância fundamental na história desta região, situada numa reentrância do mar Adriático. A sua identidade começou por ser moldada pelos povos da Tarsática celta e da tribo ilíria dos Liburnos, tendo-se seguido a intervenção romana, que a batizou de Flumem, e depois dos francos, húngaros, italianos e croatas. É, pois, uma região de muitas influências e de grande riqueza cultural, com vários motivos de visita.

Para a sua programação como Capital Europeia da Cultura, Rijeka escolheu três temas essenciais na sociedade contemporânea: água, trabalho e migração.

Tendo em conta as alterações provocadas pela pandemia na programação de Rijeka 2020, foi decidida a sua extensão até abril de 2021 e não apresentar a programação das cidades anteriormente previstas para este ano. 

Visite o site oficial aqui.

Galway, Irlanda

Nos tempos mais recentes, tornou-se conhecida por uma canção do músico Ed Sheeran e respetivo videoclipe, mas é uma cidade com uma história longa e tradições antigas. Ficou conhecida por “cidade das tribos”, por ter sido governada na Idade Média por 14 tribos, e ainda hoje mantém a língua gaélica presente nos costumes de alguns habitantes. Tendo três universidades, fica garantida a sua animação, patente nos diversos festivais, eventos culturais e, claro, nos pubs.

O programa de Galway para a Capital Europeia da Cultura é baseado no calendário celta, dividindo as atividades de acordo com os seus ciclos. Língua, paisagem e migração são os temas a ter em conta na conceção das suas iniciativas. 

Tendo em conta as alterações provocadas pela pandemia na programação de Galway 2020, foi decidida a sua extensão até abril de 2021 e não apresentar a programação das cidades anteriormente escolhidas para este ano.

Visite o site oficial aqui.